quarta-feira, 12 de agosto de 2009

nossos



é nosso o instante
em que nos rendemos
a mil carícias abrasadas
suadas de melífluo querer
a estremecer na língua
alvoroçada de paixão

é nossa a hora
em que tua alma se tatua
na minha pele impaciente de ti
e incendeio teu ser
no meu leito de camélias
e perfumes de marfim

é nosso o tempo
em que hasteamos a voz
e somos universo ímpar
quando banhados de ambrósia
nossos corpos convulsos
se reconciliam em nós


alexandra,  agosto, 2009








4 comentários:

Maria João disse...

Alexandra..

Belíssimo, como sempre, este teu poema.
Sentires de amor, paixão e intimidade. A vida tatuada em nós!

Um beijinho

Nilson Barcelli disse...

Brilhante, querida amiga.
Ler poesia assim é um tempo bem empregue.
Gostei imenso, como é óbvio.
Um beijo.

Paola disse...

corpos tatuados de sensualidade...palavras fantásticas a dizer... Tanto que gostei, querida Alexandra.

Beijo

A.S. disse...

Alexandra...

O Nosso instante, é aquele em que o sonho se faz eterno!


Beijos...
AL