quinta-feira, 2 de agosto de 2007

vida



na desleal arena da vida
a existência acontece
matreira
répteis desmedidos
espreitam uma irreflexão
pérfidas serpentes
entrelaçam-me prazenteiras
e o riso das hienas
pressagia o odor putrefacto
do meu fim 



alexandra, 2003







Sem comentários: