domingo, 25 de janeiro de 2009

sofisma




li em tuas mãos estendidas
um oceano úbere de afetos
onde me afundei iluminada

e quando em tuas mãos
inexorável o abismo sucedeu
calei o funesto brado
e em meu peito
o cravei dilacerada



alexandra, 25-12-2008




3 comentários:

Carlos Alberto disse...

Ólá Alexandra,
Parabéns por este post cujas palavras são tão significativas.

Tenho o prazer de te informar que tens no meu blog um DESAFIO, o qual gostaria que publicasses e respondesses. Por isso te nomeei.
Um bom fim de semana,
Carlos Alberto Borges

Alexandra disse...

Obrigada, Carlos, pelas tuas palavras e pelo desafio. Foi um prazer!

Bom resto de semana.

Anónimo disse...

necessario verificar:)