terça-feira, 14 de julho de 2009

tu




raiaste na noite
princesa de sonhos
com toque ebúrneo
enfeitiçado de carmim
afluíste essencial e raro
e descobriste-me luzente
de um querer desnudo
e fero na luz desse Maio
risonho de boninas

no relento da aurora
ornaste meu jardim
falho de conchegos
com hálitos íntimos
de promessas rubras
e apelos desmedidos


araste-me a vida
com o sémen
da romã carnuda
que aflora agora
os lábios exaltados
por anseios admiráveis





alexandra, maio, 2009





2 comentários:

Nilson Barcelli disse...

"e descobriste-me luzente de um querer desnudo e fero na luz desse Maio risonho de boninas"
Todo o poema é belo, bem escrito e sensual. A parte que destaquei é apenas um exemplo da beleza das tuas palavras e imagens poéticas.
Querida amiga, um beijo.

Alexandra disse...

Meu querido Nilson, obrigada pelas tuas palavras - sempre gentil!

Bom fim-de-semana.

Um beijo!