domingo, 10 de outubro de 2010

brevidade






rasgaste o instante
com a tenuidade do vento
e acendeste-me a vida
com alvoradas de espanto
e ocasos de luz
foste mariposa breve
na papoila púrpura
que trazia na mão



alexandra , setembro, 2010







7 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Excelente, como sempre.
Depois de tanto tempo em silêncio, espero que tenhas voltado para ficar...
Um beijo, querida amiga Alexandra.

Maria João disse...

Querida Alexandra

E em espanto, alvoraçou-se em ti a vida que adormecia, esperando apenas o instante preciso da chegada do arco-íris!

Fico tão contente que tenhas voltado...
de coração te peço que fiques!!

Um beijinho muito grande

A.S. disse...

Teu corpo frágil
levita ao sopro do vento,
ao zumbido do mel...

Serei faminto insecto,
tu me acolherás
docemente
num voo evanescente...

Um beijo, querida... e saudades!
AL

proferman disse...

Rimango sempre entusiasta ed emozionato dalle tue parole, a presto

MOISÉS POETA disse...

nossa!!!

que lindo isso !!

amei...!!

um beijo !!

MCampos disse...

Tão bom poder lê-la de novo, Alexandra. Um prazer a sua escrita.


Um beijinho e bom fim-de-semana.

Maria disse...

Convido a participar no meu blog com textos, reflexões, depoimentos ou questões http://maria-haagen-dazs.blogspot.com
Até dia 20 de Novembro está aberto o consultório de tarot no qual poderá também participar.
Um grande beijo,
Maria.