domingo, 29 de março de 2009

kronos




nas rugas do tempo
lavrei indeléveis
trilhos que percorri
na vida em que me acho

foram mil cavalgadas de espanto
êxtases a pinceladas gravados
essências fugidias de sândalo
que perfumaram a nossa jornada

busco-te cavaleiro-sombra
perdido numa esquina da vida
vadio em avenidas amarrotadas
por mãos descuradas de candura

neste tempo a rugas esculpido
denuncias-te no meu rosto
ora de gelhas dissimulado
e rasgas nostalgias abissais




alexandra, 2009




2 comentários:

O Peregrino disse...

bem legais os seus poemas,
vou seguir essse blog. Me dê uma ajudinha também... siga o meu..
http://peregrinosonline.blogspot.com/
:)

Alexandra disse...

Obrigada, Peregrino, e volte sempre.

Visitei o seu blog, gostei e vou segui-lo.